terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Knock Galley West

365POP2018 - Terça feira - anos 2000

Esse é um post do tipo: EU NÃO SEI! 

Mas o que eu sei: Knock Galley West é uma banda, mais provavelmente era, ela toca alguma coisa misturando western, psychoblilly e punk. A banda descreve o próprio som como Ghoulish Rock & Roll. O que faz sentido. Eles tiveram, pelo menos um disco de 5 música e participaram de mais duas compilações e estavam na trilha sonora do W.E.T. Sim, mais uma banda de lá. A banda é um trio: Matt, Jared, Dustin.

Agora o que eu não sei: Ainda existem? Não sei. Têm outros discos? Não sei! Quem toca o que? Não sei. São de onde? Não sei. Ano em que começaram? Não sei, mas chuto ser depois de 2008. 

Segundo o perfil no Facebook este é a biografia da banda. (traduzida no automático, sim, está uma tradução ruim, vai ficar assim mesmo)


"Em uma noite nova e fria do meio-dia em 1847, uma mulher transilvana encontrou um cemitério abandonado, o único lugar adequado para ela dar origem a trigêmeos. Infelizmente, ela morreu pouco depois de dar à luz, e as crianças foram deixadas para serem criadas por coiote-lobisomens, zumbis e outras criaturas cemitéas da noite! Com crânios para bateria, tripas de zumbis para cordas e espinhas atribuídas às gaiolas de costela usadas como guitarras, as crianças aprenderam a tocar rock and roll macabro. À medida que cresciam em adultos, eles aprenderam a chegar ao fim, por qualquer meio necessário. Isso geralmente implicava apostas de diligência, roubos de banco e outros crimes típicos do Oeste Selvagem. Ser rápido com seus seis atiradores manteve os lawdogs fora de sua trilha. Depois de um tempo, eles começaram a viajar pelo país tocando sua psicologia fora da lei ocidental para ganhar a vida. Em 1867, os três fora da lei realizaram-se em El Paso, mas foram emboscados no palco. Eles foram abatidos da maneira mais covarde pelo xerife do condado. Para a surpresa do xerife, os três pistoleiros surgiram de seus túmulos rasos como zumbis com vingança e rapidamente pagaram o xerife suas dívidas. Hoje, mais de um século depois, os bandidos dos zombis são conhecidos como Knock Galley West e continuam a perseguir os estádios do sudeste com suas melodias horríveis para fãs de todos os tipos."

E o som: Muito legal, do tpio que dá pra deixar tocando, mas não no Spotify, a banda tem um perfil lá, mas com uma única música. Tocam com aquela energia típoca do movimento, mas com toques mais western, mas com zumbis e tal, mais ou menos um Matanza na sua melhor forma. Mas mais hollywood e nem tanto country. 














E pra ajudar nesse post que eu não sei nada, a banda tem bem mais músicas perdidas pelo Youtube do que consta na discografia. 

Links:
https://www.discogs.com/artist/2610367-Knock-Galley-West
https://www.facebook.com/Knock-Galley-West-112069038842355/
https://myspace.com/knockgalleywest







segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Filmes de 2017


Adoro filmes, um pedaço de uma época numa tela. Tenho meus gêneros preferidos, mas meio que passo por todos. E fechando a conta de 2017. Foram 162 filmes. Isso se não esqueci de nenhum.

Cada mês, ou as vezes atrasado, faço um post com os filmes, eis a lista.


Filmes de Dezembro (atrasado, claro)

Innocent Blood (1992)
http://www.imdb.com/title/tt0104511/

Um bom filme de vampiro, bastante esquecido, indo na onda dos anos 90, não é excelente, mas é bom e suficientemente diferente. Vale assistir.  

Los Parecidos (2015)
http://www.imdb.com/title/tt3949658/?ref_=nv_sr_1

Filme irregular, uma boa ideia, mas em algumas partes é arrastado, vale pela loucura da trama e o desenvolvimento dos personagens, o que no final das contas, em um filme de confinamento é o que importa. 


Cannibal Holocaust (1980)
http://www.imdb.com/title/tt0078935/?ref_=nv_sr_1

Enfim assisti ao famoso filme, é bom, é diferente e não é pra qualquer público. Eu costumo ter muito estômago pra filme, mas a cena da tartaruga é foda, eu não pulei essa parte, mas fiquei tentado. De resto é importante para o cinema trash, cinema mondo e para o cinema italiano. Veja com parcimônia. 



Star Wars: Os Últimos Jedi (2017)
http://www.imdb.com/title/tt2527336/?ref_=nv_sr_1
Não vou falar muito, todos já falaram, só me limito ao: Eu gostei. 



Timecop (1994)
http://www.imdb.com/title/tt0111438/?ref_=nv_sr_1
Melhor filme do Van Damme. História é até aceitável para um scifi e completamente aceitável para um filme de ação. Vale pelos anos 90, pelo Van Damme em sua grande forma e pelo filme em si. 




Ichi the killer (2001)
http://www.imdb.com/title/tt0296042/?ref_=nv_sr_1
Outro famoso filme que estava na minha lista fazia eras. Ótimo filme, mas não é para qualquer um. Se você se impressiona com violência esse não é pra você. 





O Alvo (1993)
http://www.imdb.com/title/tt0107076/?ref_=nv_sr_1
Mais Van Damme, e esse é um título menor, mas não menos empolgante. Adoro filme de gangues e lutas de rua. Um homem contra uma multidão. Aqui está toda a tradição da coisa. Mas não é pra ser levado a sério. 





Blood of Redemption (2013)
http://www.imdb.com/title/tt2510268/?ref_=nm_flmg_act_33
Filme besta com Dolph Lundgren, ele faz bem a parte dele, mas Gianni Capaldi ferra o filme todo. Tudo bem ele ser o diretor e roteirista, não precisava ter um personagem mais foda que o Dolph Lundgren que fica em segundo plano.


Terminator: Salvation (2009)
http://www.imdb.com/title/tt0438488/?ref_=nv_sr_1
Quando o ano está acabando, ou começando, eu procuro todos os filmes que falam do ano seguinte e os assisto. Ainda não tinha visto mais do que o Terminator 2. Ainda não vi o 3. Esse aqui tem um ótimo começo e depois fica besta. Não chega a ser ruim, mas não faz jus ao legado. Mas até ai  nenhum faz.



Iron Sky (2012)
http://www.imdb.com/title/tt1034314/?ref_=nv_sr_1
Outro filme que se passa em 2018. Esse eu já tinha visto e gostei mais ainda da segunda vez. É um filme de humor cretino, cheio de piadas políticas sobre propaganda e palavras de ordem ganhando eleições. Ficou mais atual ainda em 2017.



Bright (2017)
http://www.imdb.com/title/tt5519340/?ref_=nv_sr_1
Universo bem legal, personagens legais, uma trama que começa bem, mas derrapa no final. Melhor que a média dos outros filmes do David Ayer.


Malasartes e o Duelo Com a Morte (2017)
http://www.imdb.com/title/tt4733620/?ref_=fn_al_tt_1
Filme chato, conseguiram não aproveitar um herói pronto. Pra que toda uma trama complicada se nem vai dar tempo de desenvolver os personagens e nem a trama? Os efeitos especiais são aceitáveis para o padrão nacional. 



San Shao Ye de Jian (2016)
http://www.imdb.com/title/tt5269396/
Um remake, que eu só descobri depois. Um tanto quanto confuso na trama, com visual bem legal para personagens e motivações estranhas. Na verdade é a síndrome do protagonista burro. Quero ver o original. 



Brotherhood (2016)
http://www.imdb.com/title/tt5193784/?ref_=nv_sr_1
Mais um filme que se passa em 2018, mas esse é só por mero acidente. É uma continuação que se passa 10 anos depois do original, então calhou de cair em 2018. Interessante essa parte do cinema britânico, nada demais, mas um bom filme de redenção, gangues e ruas. 





Rollerball (1975)
http://www.imdb.com/title/tt0073631/?ref_=nv_sr_1
Esse filme é incrível, violento e incrível. E qual o sentido de tanta violência? Pois é. Esse é o espírito. Mais um filme que se passa em 2018.


Ace ventura (1994)
http://www.imdb.com/title/tt0109040/?ref_=nv_sr_1

Já tinha visto na época, revi e é um filme que nãn envelheceu bem. Algumas piadas ainda funcionam, Jim Carrey manda bem, mas é só isso. Dá pra passar o tempo, mas esse filme está esquecido por um motivo. 


Brick Mansions
Filme de aventura descerebrada e refilmagem de um filme francês, se passa em 2018, então entrou pra lista. Seria um filme de aventura ok, com ação descerebrada e bem divertido se não fosse seu final idiota que estraga o filme todo.


The Anchor

365POP2018 - Segunda feira - anos 2010

Esse post serve para responder 3 questões que meio que são crenças gerais de uma galera que cute rock, principalmente heavy metal.

1- Novas bandas aparecem, e sim, elas podem ser legais.

2- Mulheres podem cantar em bandas de heavy metal e não necessariamente precisam ser vocais líricos, e mais, elas podem ser líderes de banda. Tá isso é verdade desde sempre, Warlock já aconteceu, mas é preciso repetir pra alguns ai.

3- Bandas não deveriam se levar a sério, nem os fãs deviam ser tão sérios. Como naquele caso idiota da entrevista na fila do show do Manowar.

Agora vamos ao principal.

The Anchor é uma banda de metalcore, do colorado, a banda tem 5 integrantes e a vocalista é a Linzey Rae, eles ficaram conhecidos por uma brincadeira, e onde conheci a banda também, Metal Kichen, misturando culinária e o vocal cultural de Linzey Rae eles fizeram receitas comuns com metalcore. Isso deu certo, muito certo e em 2016 lançaram o primeiro disco A World Ahead.

Seu novo disco já está em pré venda para dia 22 de fevereiro.

Não era só de brincadeira, eles sustentaram um disco de boa. Não reinventaram o estilo, não era esse o objetivo, até pode se dizer que não soa muito diferente de outros, mas é bem legal, bem pessoal e enérgico.





Como um banda moderna eles estão bem presentes na internet, o canal da Linzey Rae serve tanto pra promover a banda, como seus outros vídeos, o já citado Metal Kichen, como o Scream it like a girl e Pop goes Metal. Claro, Facebook, Spotify e Instagram 

NOTA: não confundir The Anchor com Anchor, são duas bandas diferentes, pois é, nome comum de banda acontece isso.

 Links:

domingo, 14 de janeiro de 2018

Chiemi Eri

365POP2018 - Domingo - anos 50

E dando sequência a esses posts nipônicos, que começaram quinta feira com os anos 70 com a Sadistic Mika Band e seguiu com Norihiko Hashida & The Shoebelts e agora segue com Chiemi Eri.

Chiemi Eri nasceu Chiemi Kubo em 11 de janeiro de 1937, aos 14 anos começa a sua carreira como cantora e depois torna-se atriz. Ela cantava músicas folclóricas japonesas e músicas mais ocidentais, inclusive é responsável pelo cover de Rock Around the Clock que daria origem ao fascinante movimento rockabilly japonês.

Ela participou de 51 filmes, gravou 8 álbuns e até veio para o Brasil em novembro de 1961 Descobri isso nesse interessante blog sobre cartazes brasileiros de 1957 a 1968.

Chiemi Eri casou em 1968 com o ator Ken Takakura em 1968 e divorciou-se em 1971. Ela morreu em 1982 aos 45 anos, a causa da morte foi dada como sufocamento enquanto dormia.

E o som:
É bem legal, acho que demora um tempinho, duas ou três músicas para se acostumar. Ela realmente tinha talento. A mistura de influências ocidentais e música tradicional japonesa é algo bastante interessante, é claro que isso, para quem acredita em apropriação cultural, deve ser um horror. Mas, ainda bem, que o mundo nos anos 50 não ligava pra isso.






E o Rochabilly?
Nos anos 50 foi a resposta perfeita para muitos jovens descontentes com os rumos do Japão. Com seu visual exagerado, que influencia essa subcultura até hoje, com aqueles cabelos suspensos e jaquetas, motos modificadas ilegalmente, ocasionando brigas, rachas e desordem. A polícia teve bastante trabalho nos anos 50 com gangues de motos que andavam por lá fazendo barulhos ou brigando, carregar uma bandeira imperial na moto era quase que sinal de confusão. Uma juventude que sentia viver num país derrotado adota como contravenção um estilo do país vencedor para reafirmar o imperialismo. Sim, tudo é bastante complicado.



Links:
https://en.rocketnews24.com/2014/07/08/a-brief-history-of-japanese-rockabilly-not-just-for-your-grandparents%E3%80%90j-tunes%E3%80%91/
http://cartazes-internacionais-no-brasil.blogspot.com.br/2014/11/eri-chiemi.html 
http://www.imdb.com/name/nm0258940/?ref_=nmbio_bio_nm
https://www.discogs.com/artist/2778287-Chiemi-Eri
https://en.wikipedia.org/wiki/Chiemi_Eri
https://open.spotify.com/artist/1nnACYa4vyzvnKIvmcJnoU

sábado, 13 de janeiro de 2018

Norihiko Hashida & The Shoebelts

365POP2018 - Sábado - anos 60

Seguindo a mesma linha de ontem, como será que a coisa ia no Japão nos anos 60. 

A beatlemania que assolou toda a Europa e América fez o mesmo com o Japão. Muitas bandas de reck garagem apareceram e como não conheço nenhuma vou escolher uma e escrever sobre ela. Isso mesmo, comecei esse post sem saber de que banda vou escrever. 

A cena musical no Japão nos anos 60 era mais ou menos como a nossa aqui no Brasil, apareceram as bandas de rock, as imitações de beatles e tudo foi muito medido e controlado. Entre as bandas está o nosso assunto da aula de hoje: Nirihiko Hashida & The Shoe belts.

Hashida nasceu em Kyoto e em 1967 foi convidado a se juntar aos Folk Cruzaders, o que não durou muito, a banda se separou em 1968 e Hashida fundou o Norihiko Hashida & The Shoebelts que também só chegou até 1970. 

O som era um folk bastante pasteurizado, mas mesmo assim, curioso pela pieguice e mistura cultural. 

Eles lançaram 4 eps durante o período de atividade e apenas um LP. 






Links:
https://en.wikipedia.org/wiki/Norihiko_Hashida
https://www.discogs.com/artist/2113134-The-Shoebelts?anv=%E3%82%B7%E3%83%A5%E3%83%BC%E3%83%99%E3%83%AB%E3%83%84

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

SADISTIC MIKA BAND

365POP2018 - Sexta Feira- anos 70


Uma amiga disse, que para ela, todas as bandas japonesas soavam como abertura de anime. Isso levantou minha curiosidade, será mesmo? Ou é apenas o filtro do que chega para gente. Então, nada melhor que esse projeto de quem não tem nada melhor pra fazer para testar. Começando em quando nem as aberturas de anime pareciam aberturas de anime, os anos 70.

E como hoje é dia de anos 70, Sadistic Mika Band.

O nome da banda é uma paródia do nome do Plastic Ono Band, Sadistic foi escolhido pelo senso de humor de Mika. E como a Plastic a Sadistic era formada por um casal Mika Fukui e  Kazuhiko Kato. 

A banda começou em 1972, em Londres. o casal, inspirados pelo glam rock, T-Rex e David Bowie criou a Sadistic Mika Band, seu primeiro disco foi produzido na Inglaterra, onde tiveram lançamentos, além do Japão, claro. No Reino Unido a coisa foi fraca, mas muito bem no Japão, estão inclusos no top 100 do rock japonês de todos os tempos. 

A banda acabou com o divórcio da dupla, os muitos membros que passaram pela banda, e foram muitos, olha lá na wikipedia (link nos links, piada ruim). seguiram diversas carreiras artísticas. Um deles, Masayoshi Takanaka, se tornou um dos guitarristas mais famosos do Japão, Kazuhiko Kato seguiu carreira solo e depois tornou-se um famoso apresentador de TV. Mika mudou-se para a Inglaterra e deixou a carreira artística, mas em 1994 produziu e lançou um disco. A banda deu origem ao Sadistic, basicamente a mesma formação sem a Mika Fukui e ao Yellow Magic Orchestra. 

E o som: 
Um tanto psicodélico, experimental, jazz e improviso, e é claro glam rock.







Se entendi direito isso é uma reunião da banda com outra vocalista em 1989.
Links:


quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Arte no Escuro

365POP2018 - Quinta Feira- anos 80

Para o post de hoje resolvi cavocar o nacional, uma rápida busca me levou a uma banda gótica, sim, existem outras além do Violeta de Outono, ou melhor, existiam e uma delas é o Arte no Escuro.

Isso vai ser só um resuminho, Esse texto do Carcasse já diz tudo que alguém precisa saber.

A banda começou em Brasília, junto ao movimento pós punk brasileiro, a banda se destacava com o Lui no vocal, mas estourou quando Marielle Loyola o substitui. Eles assinam com a EMI e logo depois disso ela deixa a banda e funda uma banda de trash metal chamada Volkana. Acabou assim o Arte no Escuro.


Mais sobre as bandas da Marielle Loyola em outros posts.

E o Som:
é o gótico clássico dos anos 80, temas tristes e de depravação, niilismo e a entoada típica, sem grandes subidas ou decidas. Pra quem gosta do gênero, como eu, é bem legal, e pra quem não gosta é bom conhecer, como acabei de descobrir, pela importância história da música brasileira.








Entrevista com Marielle Loyola pelo Papo Livre


Não tem no Spotify, mas o disco completo está aqui. Ele nunca saiu em CD até onde sei. O LP é um Santo Graal de muito gótico por ai.

Links:
http://www.carcasse.com/revista/passaros_negros/arte_no_escuro/
http://paineldorockbrasil80.blogspot.com.br/2009/02/arte-no-escuro.html
https://www.ouvirmusica.com.br/arte-no-escuro/929181/


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Skunk Anansie

365POP2018 - Quarta Feira- anos 90

Skunkie Anansie é uma dessas bandas que é difícil definir exatamente o que está tocando? É punk? é metal? é pop? Mas não importa é incrível, barulhento e cheio de força. 

A banda britânica se formou em 1994, apenas houve uma troca de membros desde então, o baterista da época foi substituído e a formação: 

Sim, copiado diretamente da wikipedia, pois é, a vida é assim. 
  • Skin - vocal, guitarra, theremin (1994-2001; 2009–presente)
  • Martin "Ace" Kent - guitarra, backing vocals (1994-2001; 2009–presente)
  • Richard "Cass" Lewis - baixo, guitarra, backing vocals (1994-2001; 2009–presente)
  • Mark Richardson - bateria, percussão, backing vocals (1995-2001; 2009–presente)
Former members

A banda fez parte do movimento alternativo de música britânica dos anos 90, mas é até difícil encaixar eles assim, No mesmo ano de lançamento do seu primeiro disco eles já contribuíram com 2 músicas para para o filme Estranhos Prazeres (Strangers Days, 1995). Pelo nome nacional dá até a entender que seja um filme pornô ou um tipo de 50 tons de cinza dos anos 90, mas não, é uma excelente ficção científica e suspense policial.

Mas voltando a falar da banda, eles fizeram bastante sucesso na Europa, mas não foram lá muito bem sucedidos em cruzar o oceano, nos EUA e no Brasil não são lá muito conhecidos. Mas deveriam, é legal pra cacete. 

A banda se separou em 2001, Skin seguiu carreira solo, até 2009, quando a banda retornou. Mas diferente de outras bandas que retornam e nem lançam um disquinho pra dizer que voltaram, o Skunk Anansie lançou logo um em 2010, outro em 2012 e um terceiro em 2016. 

E o som:
Acho que já ficou claro que é uma puta banda e que fazem algo bastante pessoal e pesado. Segundo a wikipedia a banda toca Britpop, Rock alternativo, Metal alternativo, Punk rock e Indie rock, mas outroas já definiram como uma banda de metal misturada com uma rave feminista e com influências de punk e hip-hop. Quer saber, é mais fácil escutar. 





Links:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...